Harmonia entre o Estado e as Religiões

Prezado(a)s Amigo(a)s,

Gostaria de agradecer os esforços do Secretaria Especial dos Direitos Humanos (SEDH), a União Planetaria (UP) e todos os parceiros para o lançamento do Centro de
Referência dos Direitos Humanos para a Diversidade Religiosa.

Segue minha contribuição sobre a "laicidade" para melhorar as relações
entre o Governo e todas as Religiões, é importante esclarecer o conceito de
laicidade.

O que é a laicidade?

Cronologia

A Reforma Protestante começou em 1517 e iniciou um período de 130 anos de
guerras religiosas até o Tratado de Westphalia em 1648.

Os conflitos religiosos e ideológicos continuaram mais 140 anos até a Revolução
Francesa em 1789.

Depois da Revolução, surgiu a primeira laicização ou separação dos
registros dos casamentos realizados fora da Igreja.

Em 1882, apareceu a instrução obrigatória com as primeiras escolas públicas
laicas.

Em 1905 foi assinada a lei de separação entre o Estado e as Igrejas, que é
o inicio oficial da laicidade na França.

Os três princípios:

1)      A neutralidade do Estado em relação os
Cultos religiosos: a manifestação de convicções religiosas é proibida para os servidores
públicos nos locais públicos.

2)      A Liberdade de consciência e de crença.

            3)      O pluralismo religioso: o Estado não
reconhece nenhuma religião, mas reconhece o fato religioso e deve proteger os
cultos minoritários[1].

Os pontos (2) e (3) foram uma conquista positiva de acordo com a vontade
divina para que todos os seres humanos possam buscar a verdade com liberdade de
consciência e quebrar a imposição de uma religião dominante e corrupta que se
afastou dos ensinamentos do fundador.

O primeiro ponto (1) às vezes é mal entendido por alguns que querem excluir
a livre expressão das convicções religiosas
nos locais públicos.

O propósito das religiões verdadeiras é de religar com Deus o Criador e fonte
da Vida, de Amor, de Bondade e de todos os ideais que produzam a Paz e a Felicidade
para todos.
A maioria da humanidade reconhece a importância e o beneficio das religiões
para elevar a consciência e preparar para a vida eterna.

Da mesma forma que a maioria dos seres humanos buscam a harmonia e a união entre
o espírito e o corpo, e reconhecem que uma vida espiritual ativa, eleva a
consciência, mantém o corpo físico saudável e um comportamento correto, o Estado
ou o Governo
(que representa o corpo) deve buscar um relacionamento harmonioso
com todas as religiões
(que representam o espírito ou a consciência da
sociedade) sem discriminação. As leis que impedem a livre expressão das convicções
religiosas na vida social ou profissional estão atuando contra a Vontade divina
e contra a liberdade de expressão religiosa. É um crime  querer afastar e eliminar o relacionamento
com Deus das atividades humanas quer sejam públicas ou privadas; o propósito da
historia humana é a restauração do relacionamento com Deus, fonte do Amor indispensável
à felicidade humana. Com certeza, a expressão religiosa pública não poderá
ofender e deverá respeitar a todos.

O conceito de laicidade surgiu para tentar resolver o conflito entre dois
tipos de ideologias completamente opostas:

1)      A ideologia ateísta
e materialista oriunda da Revolução Francesa que estabeleceu uma democracia
baseada na Declaração dos Diretos do Homem, bloqueando completamente a inclinação
para o espírito humano a buscar Deus, resultando na formação do mundo comunista
que vem tentando eliminar as religiões.

     2)      A ideologia dos
pensadores cristãos perseguidos buscando a liberdade de crença, que fugiram
para a América e estabeleceram uma democracia enraizada na crença em Deus e na
liberdade religiosa.

Por fim, o conceito atual do Estado laico necessita ser modificado para
permitir a livre expressão das convicções religiosas verdadeiras (religar com o
Criador) em qualquer lugar da sociedade, valorizando o ser humano como um ser
espiritual em comunicação natural com o Seu Criador.

O CRDHDR será muito importante para promover o diálogo e a reconciliação entre
todas as religiões
e definir as condutas e comportamentos dos religiosos, aceitáveis
em locais públicos, para o beneficio de toda a sociedade, e assim eliminar os
preconceitos entre as religiões.

E planejar a criação do Conselho Nacional dos representantes religiosos que
emitirá orientações e parecer para apoiar o Governo na elaboração de políticas
públicas na construção de uma Cultura de Paz.


Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s