Matéria publicada por Deputado Fernando Melo


A Paz é o caminho





  Em
conversas informais, o deputado Fernando Melo (PT-AC) manteve contatos
estratégicos com parlamentares norte-americanos. Apontou os
inconvenientes do protecionismo comercial dos EUA em relação a diversos
produtos de exportação brasileiros.
A
convite da Federação Pela Paz Universal, Melo participou de um
seminário internacional sobre lideranças nas Américas, em Washington-DC.

NO SENADO AMERICANO – Melo ouve o senador republicano Waine Allard /ASSESSORIA

AGÊNCIA AMAZÔNIA

contato@agenciaamazonia.com.brEste endereço de e-mail está sendo protegido de spam, você precisa de Javascript habilitado para vê-lo

 

BRASÍLIA
– No encontro da Universal Peace Federation (sigla em inglês da FPU),
no final de abril, os congressistas brasileiros estabeleceram valiosos
contatos com autoridades e personalidades de diversos países,
envolvidas em questões relativas à busca da paz mundial. "A paz é
fascinante e pode ser buscada com o trabalho de cada um,
democraticamente, nos bastidores, no Parlamento, por meio de
conferências, discursos, acordos, tratados, protocolos, cartas e
declarações", afirmou Melo ao retornar da viagem de uma semana àquele
país.
Líderes de todo o mundo compareceram ao evento, entre os quais, o
ex-primeiro ministro da Espanha, Felipe Gonzales, os ex-presidente do
Uruguai, Julio Sanguinetti, e da Bolívia, José Queiroga, diversos
senadores, deputados e funcionários governamentais de diferentes países
da América Latina. Fernando Melo debateu a agricultura e alternativas
energéticas com o senador Waine Allard (Partido Republicano).

PLANETA AGREDIDO – O embaixador Brun fala sobre a paz com foco ambiental

Amazônia em pauta

Melo
é um dos 70 mil Embaixadores da Paz no mundo, escolhidos pela UPF. O
conceito de paz no sentido amplo da palavra também foi apresentado pelo
embaixador Luiz Brun de Almeida e Souza, que acompanhou os
congressistas brasileiros. "Na verdade, as agressões ao planeta
comprometem seriamente a segurança internacional e a paz, pois tendem a
provocar disputas por recursos não-renováveis em diversas partes do
mundo, criando um clima potencial de conflitos por sobrevivência",
enfatizou Brun.
Em conversas informais, os deputados brasileiros mantiveram ainda
contatos estratégicos com parlamentares norte-americanos. Apontaram os
inconvenientes do protecionismo comercial dos EUA em relação a diversos
produtos de exportação brasileiros. "Os contatos feitos pelos deputados
Fernando Melo e Petecão podem ser muito úteis à luz das próximas
eleições presidenciais naquele país", analisou o embaixador.
  

Fernando Melo conhece o Capitólio

CONGRESSO AMERICANO – O deputado mostra o estilo neoclássico do prédio

O
Capitólio dos Estados Unidos da América é a estrutura que serve como
centro legislativo do governo dos Estados Unidos. Nele localiza-se o
congresso nacional, formado pela câmarta alta (composta por Senadores)
e pela câmara baixa (composta por Deputados).

O
edifício foi projetado originalmente por William Thornton. O projeto
foi posteriormente modificado por Stephen Hallet, Benjamin Latrobe e,
em seguida, Charles Bulfinch. A atual cúpula e as alas da Câmara e do
Senado foram concebidas por Thomas U. Walter e August Schoenborn, um
imigrante alemão, e concluídas sob a supervisão de Edward Clark .

O
edifício é marcado por sua cúpula central e por suas duas alas, cada
qual para uma das câmaras do congresso: na ala norte situa-se o Senado,
enquanto na ala sul situa-se a Câmara dos Representantes. Acima destas
câmaras encontram-se galerias a partir das quais os visitantes podem
assistir ao Senado e Câmara dos Representantes. A construção é um
exemplo da arquitetura estilo neoclássico. A estátua sobre a cúpula é a
Estátua da Liberdade .
O local para a construção escolhido por Pierre Charles L’Enfant foi
Jenkins Hill, o qual situa-se 27 metros acima do rio Potomac. O local
fica a 1,6 km da Casa Branca. L’Enfant garantiu a locação de pedreiras
na ilha Wigginton e ao longo Aquia Creek na
Virgínia, para utilização no exterior fundações e paredes do Capitólio em novembro de 1791.

ENCONTRO PARLAMENTAR – Assessores, embaixador Brun, deputado Petecão, senador Allard e deputado Melo

Em
1792, um concurso foi anunciado pelos Comissários da Capital Federal,
procurando desenhos tanto para o Congresso quanto para a residência
presidencial. O prazo final da competição era 15 de julho de 1792, com
recompensas incluindo US$ 500 e um lote na cidade. Todos os desenhos
apresentados foram considerados inadequados e rejeitados.

A proposta mais promissora foi encaminhada por Stephen Hallet. No
entanto, o arquiteto amador William Thornton submeteu tardiamente uma
proposta em 31 de janeiro de 1793, sendo esta muito apreciada pelo
presidente George Washington e pelo secretário de estado Thomas
Jefferson. Thornton inspirou-se na fachada leste do Louvre, bem como no
Panteão para a porção central do desenho. O projeto de Thornton foi
aprovado oficialmente em uma carta, de 5 de abril de 1793, de George
Washington.

Em um esforço para consolar Hallet, os comissários designaram ele para
rever os planos de Thornton, desenvolver as estimativas de custos e
desempenhar o papel de superintendente da construção. Hallet foi além e
optou por fazer mudanças drásticas na concepção original de Thornton, a
qual ele via como amadora, com inúmeros problemas e com elevados custos
de construção. Jefferson nomeou uma comissão de cinco membros,
incluindo Hallet e James Hoban, para lidar com eventuais problemas e
rever os planos de Thornton. Com exceção de alguns detalhes no plano da
Thornton que especificavam a abertura de um recesso no centro da
fachada oriental, o plano revisto foi aceito.

George Washington estabeleceu a pedra angular em 18 de setembro de 1793
durante uma cerimônia inovadora para a construção do Capitólio. A pedra
está localizada perto da antiga sede da Suprema Corte, ao longo de uma
passagem tomadas por pessoas que visitam a galeria do Senado. Não se
sabe se esta é realmente a pedra angular original, mas foi gravado com
um símbolo maçônico e encomendado em 1893 (100 anos após a sua
colocação). A pedra angular foi deslocada de seu local original.

IMPRENSA – O deputado conhece a Redação do Washington Times, que estréia novo site este mês

Durante
a construção, Hallet trabalhou sob a supervisão de James Hoban, que
também estava ocupado trabalhando na construção da Casa Branca. Apesar
dos desejos de Jefferson e do presidente, Hallet modificou o projeto
original de Thornton referente à fachada oriental e criou um pátio
central que se extende a partir do centro, acompanhando as alas que
abrigariam os dois órgãos legislativos. Hallet foi demitido por
Jefferson em 15 de novembro de 1794. George Hadfield foi contratado em
15 de outubro de 1795 como superintendente da construção, mas solicitou
demissão três anos depois, em maio 1798, devido à insatisfação com o
projeto de Thornton e com a qualidade do trabalho realizado até então.


A ala do Senado foi concluída em 1800, enquanto a ala da Câmara foi
concluída em 1811. No entanto, a Câmara dos Representantes mudou para o
novo prédio já em 1807. Embora a construção estivesse incompleta, o
Capitólio teve sua primeira a sessão do Congresso dos Estados Unidos em
17 de novembro de 1800. O legislativo foi transferido para Washington
prematuramente por desejo do então presidente John Adams. Seu objetivo
era cortejar os estados do sul, na esperança de conseguir votos
suficientes para ser reeleito como presidente.

EMBAIXADOR DA PAZ – Antes da viagem aos EUA, Melo recebe de Jim Monn o título de Embaixador da Paz

O
Capitólio foi construído e, posteriormente, ampliado na década de 1850,
usando o trabalho de escravos. O plano original pretendia a utilização
de trabalhadores trazidos da Europa, no entanto, houve uma má resposta
aos esforços de recrutamento. Optou-se então pelo uso de
afro-americanos, tendo em vista que seu contigente – tanto como
escravos como homens livres – constituía a maior parte da força de
trabalho disponível.

A Estátua da Liberdade, situada sobre a cúpula, foi concluída em 1863. A
Supremo Corte também teve sessões no Capitólio até que seu próprio
edifício (localizado atrás da fachada leste) fosse concluído em 1935.
(Da Wikipédia)


Quem são os Embaixadores da Paz

PALESTRANTES – O ex-primeiro-ministro espanhol Felipe Gonzales e o ex-presidente boliviano, Jorge Quiroga, participaram do seminário

Embaixadores
são indivíduos cujas vidas exemplificam o ideal de vivência em
benefício dos outros, e que se dedicam à promoção de valores morais
universais, forte vida familiar, cooperação inter-religiosa, harmonia
internacional, renovação das Nações Unidas, mídia de massa responsável
e o estabelecimento de uma cultura global de paz.
Transcendendo barreiras raciais, nacionais e religiosas, os
Embaixadores da Paz contribuem para a realização da esperança de todas
as idades, um mundo unificado de paz, onde as dimensões espirituais e
materiais de todas as realidades são harmonizadas.

70 mil embaixadores

A iniciativa dos Embaixadores da Paz foi lançada pelo Dr. Moon
em janeiro de 2001, dando início a uma série de programas educacionais
voltados à reconciliação e paz. Aproximadamente 70 mil Embaixadores da
Paz foram nomeados mundialmente durante os quatro anos seguintes.

Os
Embaixadores da Paz são partes de uma rede global de líderes
representando as religiões, as raças e a diversidade étnica da família
humana, bem como todas as disciplinas do empreendimento humano. Eles se
levantam inspirados por uma base comum de princípios compartilhados, e
são comprometidos com a tarefa de promover a reconciliação,
ultrapassando barreiras e construindo a paz.

Também
no dia 13 de Dezembro de 2004, numa solenidade patrocinada pela
Fundação Washington Times, o Dr. Moon falou no Banquete “Construindo o
Nosso Legado Comum” dedicado aos principais valores de “Fé, Família e
Liberdade Centralizado em Deus”. O evento incluiu discursos de
renomados líderes políticos e religiosos, mensagens de apoio do
Presidente dos EUA, George W. Bush e do seu pai, ex-presidente, George
H. W. Bush, como também uma apresentação especial anunciando um projeto
para honrar a Força de Paz das Nações Unidas, composta de soldados de
16 nações que serviram na Guerra da Coréia.

FÉ, FAMÍLIA E LIBERDADE Jim Moon enaltece a rede global de líderes pela paz

MISSÃO DOS
EMBAIXADORES DA PAZ

Embaixadores
da paz são líderes de todos os campos da vida, dedicados à construção
de uma comunidade mundial de paz através da aplicação dos princípios da
paz da Federação para a Paz Universal.

O QUE É UM
EMBAIXADOR DA PAZ?

Os
Embaixadores da Paz são partes de uma rede global de líderes
representando as religiões, as raças e a diversidade étnica da família
humana, bem como todas as disciplinas do empreendimento humano.
Eles se levantam inspirados por uma base comum de princípios
compartilhados, e são comprometidos com a tarefa de promover a
reconciliação, ultrapassando barreiras e construindo a paz.

FAMÍLIA MOON – Jim, Reverendo Moon e Senhora Moon no jantar com parlamentares estrangeiros

O QUE FAZ

■Exemplifica o ideal de viver para os outros;
 

Promove valores morais universais, uma forte vida familiar, cooperação
Inter-religiosa, harmonia internacional, renovação das Nações Unidas, a
responsabilidade dos meios de comunicação de massa e o estabelecimento
de uma cultura global de paz.
 
Transcende barreiras raciais, nacionais e religiosas;

Contribui para alcançar a esperança de todas as eras, de um mundo de
paz unificado, onde as dimensões espiritual e material da vida
coexistam em harmonia.
■ Atua como membros dos Conselhos de Paz nacionais, regionais e global, promovendo
e salvaguardando a paz mundial;

■Atua
na formação e na expansão de uma aliança estratégica de parcerias
pró-paz com indivíduos, instituições educacionais, religiosas,
políticas e empresariais, e com os meios de comunicação e os governos.

HOMENAGEM – A Senhora Moon recebe flores no eoncontro com os Embaixadores da Paz

OS PRINCÍPIOS DA PAZ

1. Nós somos uma família humana criada por Deus, a realidade última;
2. As qualidades mais elevadas dos seres humanos são a espiritualidade e a natureza moral;
3. A família é a escola do amor e da paz;
4. Viver para o bem dos outros é o caminho para reconciliar as divisões da família humana;
5. A paz vem através da cooperação e através da superação das fronteiras da etnia, da religião e da nacionalidade.

 

http://www.deputadofernandomelo.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=282&Itemid=26

Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias e política. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Matéria publicada por Deputado Fernando Melo

  1. ANTONIO disse:

    PARABÉNS SO DEPUTADO MELO!É UM PATRIOTA AO RECEBER TÃO IMPORTANTE TÍTULO DE INSTITUIÇÃO NOBRE E ALTRUISTA!O BRASIL ESTÁ BEM REPRESENTADO NA SUA LIDERANÇA AO PARTICIPAR DE EVENTO TÃO GRANDIOSO ELEVANDO NOSSA NAÇÃO ESPIRITUALMENTE E POLITICAMENTE!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s